segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Lua cheia - o dia P - Relato de parto parte III


Acordei o marido com o pulo que dei {na verdade desde que perdi o tampão mucoso, no meio de uma crise e võmito intensa causada por uma virose da água, qualquer movimento que eu fizesse ele acordava assustado perguntando se já havia chegado a hora} e ele ainda sonolento, mas assustado com meu movimento perguntou o qe era pra ele fazer.. Pedi que me ajudasse a mudar as crianças de quarto {levantei pisando no colchão, molhando tudo de líquido amniotico, inclusive a Beatriz} e a acomodá-los em suas camas.. e que depois, me ajudasse a colocar a minha mala no ateliê, que ainda faltava arruar algumas coisas... Feito isso era pra ele voltar a dormir pq eu iria precisar dele acordado durante a noite! {Agora escrevendo e lembrando, não sei o que falou mais alto,a confança que ele tinha em mi, no meu corpo ou o sono}
Todos na casa dormindo, fui para o chuveiro.. tomei um banho beem quente... Lavei o cabelo, coloquei a depilação em dia e fiquei cantando mentalmente as músicas da seleção que havia feito para a hora do trabalho de parto.
No chuveiro mesmo as contrações vieram... não tão intensas, não tão doloridas... Aproveitei cada uma!
Logo eu, que apesar de leonina, não sou uma pessoa muito vaidosa, fiz escova no cabelo e arrumei a cara com uma maquiagem leve {não sei fazer outro tipo de maquiagem, e nem tenho os materiais necessários}...Fiz a unha do pé... decorada e tudo..
O líquido continuava saindo.. transparente..cristalino e puro... como aquele momento tão nosso...
Enquanto arrumava a mala {que estava semi pronta} notei que faltavam algumas coisas {como em casa de ferreiro o espeto é quase sempre de pau, as coisas das meninas acabaram ficando sempre pra depois}
Fui para a máquina de costura, e no silêncio daquela madrugada de chuva fininha, costuramos as 3, pela última vez.. depois de tantos pontos juntas.. Terminei os saquinhos organizadores e fechei a malinha delas.. As lembrancinhas que eu havia escolhido, não tinham chegado {elas viriam de São Paulo, junto com a minha irmã, que viria direto assim que entrasse em férias, mas que por motivos pessoais não pode vir}

Sem lembrancinhas, me peguei sorrindo, lembrando do nascimento da Beatriz, que nos pegou de surpresa, também sem as lembrancinhas para dar pra quem nos visitasse no hospital e nos primeiros dias, em casa... e meu coração se encheu de gratidão ao universo.. por me ensinar, por me permitir notar o amadurecimento.. e ver que o que era realmente necessário estava ali... o fundamental, o principal, estava ali...eu, elas e muito amor!

Nesse meio tempo, as contrações engrenaram, aproveitei pra dar uma adiantada nas coisas da casa... coloquei toda roupa de cama que havia molhado de líquido amniótico na máquina... dei uma arrumadela no quarto das crianças... e quando as contrações já estavam de 3 em 3 minutos eu comecei a ter dificuldades em conseguir monitorar o tempo de duração e intervalo sozinha... Mandei mensagem pras dindas das gurias, falando sobre o trabalho de parto... Eu não tive doula, e sem dúvidas, me fez MUITA falta!

O marido acordou e chegou a perguntar se eu realmente estava em trabalho de parto ou se ele tinha sonhado com isso...
Já estava quase amanhecendo, e ele foi pro banho enquanto eu tentava contato com o obstetra... em vão, pois o celular dele só dava desligado...
Comentamos que não havíamos tirado algumas fotos que queríamos.. então tentamos registrar antes de sairmos para a maternidade.. mas a luz era ruim.. estava amanhecendo e o dia era cinza.. de chuva finiiiiinha

Era passado das 6 da manhã quando consegui falar com ele... falei que minha bolsa havia rompido as 2 da manhã.. e que as contrações estavam frequentes e regulares, uma de um minuto a cada 3 minutos.. Ele disse que estava indo, e me pediu pra ir para o hospital!

Deixamos as crianças no meu sogro e eu ainda queria passar na farmácia pra comprar umas coisinhas que faltavam {escovinha de cabelo pras meninas, e uma fralda pra mim - vou fazer um post sobre isso depois}
mas o marido já estava ansioso e disse que as farmácias estariam fechadas, e que se fosse o caso, ele iria depois da avaliação do médico...
Quando chegamos no hospital o pessoal da internação me pediu pra subir pra maternidade enquanto o meu marido cuidava da documentação....
Ouvimos os batimentos, e estavam ok... já estava começando a ficar tudo meio confuso... Não lembro direito e a noção do tempo ficou totalmente alterada!
7cm de dilatação e a bomba!
As enfermeiras entraram em contato com o obstetra e ele estava viajando! Em Garruchos, uma delas disse.. falei com a ''fulana'' {esposa dele eu acho}. A outra disse.. ah é! hoje é quarta!!
O plantonista atendia pelo meu plano de saúde, eu já havia consultado com ele.... Apesar dele não ser meu obstetra, ele deveria me avaliar {precisavam de uma avaliação médica para que a internação pudesse ser feita e eu pudesse esperar o ''meu'' obstetra que me falou que estava indo para o hospital pelo telefone!}
Ele pressionou meu marido, dizendo que precisávamos escolher o obstetra, meu marido respondeu que já havíamos escolhido.. que seria o dr J.P.  e que queríamos a avaliação que pediram na internação já que sabíamos que a frequência cardíaca dos bebês estavam boas e eu estava tranquila... E ele se recusou! simplesmente não me atendeu, e disse que só o faria, se ele fosse o obstetra escolhido pra fazer a cesariana,antes da troca do plantão, que se daria em 20 minutos...
Perguntei quem seria o próximo plantonista.. Dr P.B., ok, consultei com ele tb {eu disse que tinha ido em todos} e apesar do quadro de uma cesariana 2x2m em cima da maca do consultório, eu sabia que ele era suuper competente!É o obstetra da elite Sãoborjense!

O médico antes de sair, ainda disse.. fica deitada pro lado esquerdo.. Acontece que pra mim, ficar deitada era quase que insuportável... aumentava consideravelmente a dor das contrações!
E acho que respondi algo como.. Se tu não vai me avaliar tb não vai escolher em qual posição eu vou ficar!
Perguntei pras meninas da enfermagem se elas se importavam em eu ficar sentada na maca {não queria sair pingoletiando líquido amniótico corredor afora} até o médico chegar.. elas disseram que não! então sentei por ali e quando sentia vontade dava uma caminhada na sala mesmo!
Liguei outra vez pro ''meu'' obstetra e ele outra vez disse que estava indo... {só não disse pra onde hehehe}

O Dr. P.B. chegou 15 minutos antes pra assumir o plantão...  Foi atencioso conosco e disse estar ciente da situação. O Dr J. P, ''meu'' obstetra ligou pra o Dr P.B. enquanto ele conversava comigo e com meu marido... então ele nos disse que nos atenderia, para que pudéssemos internar,e que poderíamos esperar o Dr que estava em Garruchos {cidade próxima} ou poderíamos escolhê-lo para nos atender, por que mesmo não atendendo pelo nosso plano de saúde, ele depois acertaria com o Dr J.P.
Com dificuldade para ouvir o bcf da gemelar 2 {Helena} o médico optou por fazer uma ultra, já que minha bolsa havia rompido a mais de 5 horas, e só haviam monitorado uma vez a frequência cardíaca das meninas, eeee SURPRESA!! Helena havia virado... Estava pélvica {sentada} no dia anterior, quando tive consulta de rotina com o obstetra e ficou cefálica {com a cabeça pra baixo}. Virou em pleno trabalho de parto {derrubando por terra o mito de que bebês não viram depois de x semanas por não ter espaço - um médico da cidade, que fazia as minhas ecografias chegou a dizer que duvidava que elas virassem, por que era uma gestação gemelar o que restringe ainda mais o espaço intra uterino, e eu já estava com 38 semanas...  ainda brincou que se virassem ele mudaria de profissão... }

Deu a sentença.. 1º gemelar pélvico, 2 cesarianas prévias, bolsa rota a mais de 5 horas, contrações frequentes e regulares de um minuto de duração com intervalo de 3 minutos... é chegada a hora de acionarmos o bisturi...
No meio de uma contração.. concentração na respiração.. surfando aquela onda, que era única e que nunca mais iria voltar...
Depois da contração.. o alivio! fazendo pressão no quadril como se auto doulagem fosse o suficiente!
Adeus plano B!! Aceitei {eu acho} o que o destino havia reservado pra mim, sorri, e aceitamos que ele fizesse a cirurgia que traria minhas meninas ao mundo.
A adrenalina havia subido lá nas nuvens, fomos para o apartamento e eu tentei me despedir da barriga....



Adeus lua cheia... lua linda... cheia de amor.. recheada de gratas surpresas... cheia de histórias... cheia de marcas... cheia de esperança.. adeus lua... gratidão por ter chegado até aqui!
Bem vinda lua minguante... lua das águas... lua que a minha menininha escolheu para vir, do jeitinho dela pra esse mundo louco...
De bundinha saudando a lua, de costas para o mundo... saindo como quem quer ficar, chegou Amanda, as 8 e 52, pesando 2.635kg e medindo 49cm, recebendo não só apgar nota 10.. mas também nota 10 em valentia, depois de tantos procedimentos dolorosos e invasivos, longe da voz que ela estava acostumada a ouvir, nos primeiros minutos de vida!
No registro 8 e 53.... exatos 40 segundos depois de terem tirado a mana, chegou a caçula.. meio sem entender, estava no meio de uma soneca {ah, filhote de Jean} pegando a orelha com a bolsa íntegra... ''Como assim, já?Ah não.... vou chorar bem  forte e reclamar com esse bando de gente estranha....'' 2.890kg, 49cm, apgar10/10 e um pulmão de ouro!!
Dividiu o pódium da coragem com a irmã! Vizinha de útero e de berço acrílico... Queriam mesmo o colo da mamãe... Dividir o seio é muito melhor!
Estica daqui... mede dalí... esfrega assim... aperta de cá.. espeta acolá... aspira ali... pinga por aqui.. empacota assim...
alguns minutinhos de vida, um cheirinho na mãe.. um chorinho reclamado... ''Aonde você estava mamãe??''
Mais um selinho de culpa!!
Estou aqui filha! Desculpa por ter fracassado, por não estar com vocês no colo até agora!!!
Beijo dado.. fim da filmagem!Leva pra dar banho!



A partir daí perdi ''meus olhos''...

Fiquei durante horas na sala de recuperação {até por volta do meio dia fazendo um esforço gigante pra me movimentar, beliscando as pernas.. tentando com todas as forças que habitavam em mim erguer as pernas} e elas, em um berço aquecido {como se em  meu colo  e no do pai delas não houvesse calor o suficiente para as duas}

A pressão subiu durante a cirurgia... Tive bastante sangramento, as enfermeiras trocaram todos os lençóis da maca na sala de recuperação umas 3 vezes {e só não trocaram mais pq conforme elas, o hospital estava cheio e não tinha mais material para trabalhar}

Assim que consegui erguer as pernas, fui para o apartamento.. meu marido me esperava lá! {quem sabe um dia ele faça o relato de parto  aos olhos do pai, que pedi pra ele e eu fique sabendo o que ele sentiu... como foram essas horas longe de mim...}
Imediatamente pedi as minhas filhas junto de mim!! e elas as trouxeram...
Dois pacotinhos de amor... tentei amamentar {já que não nos foi dada a oportunidade da amamentação na ''hora de ouro'' } Helena pegou de primeira! pega corretíssima... logo ficou satisfeita!!


Amandinha... como foi difícil o nosso começo! tentei ajustar a pega dela, mas não teve jeito dela mamar!!! e assim foi durante toodo o primeiro dia de vida! mamava aos poucos... chorava bastante... tinha dificuldade em corrigir a pega dela...  /

Algumas visitas {ao meio dia só foram as dindas, por que era só quem sabia do nascimento delas... Mais tarde foram algumas amigas!}

Meu marido aproveitou o horário de visitas pra ir em casa, tomar um banho.. comer alguma coisa... dar uma atenção para os mais velhos.. atender os cachorros... dar um up na casa... e descansar um pouquinho...

E eu, aproveitei que estava com duas amigas lá e fui tomar banho...
Já estava sentada desde o meio dia.. tentando desesperadamente amamentar a Amanda... o banho sempre funcionou muito comigo para a produção de leite... um banho quente seria ouro! eu tinha sangue por toda a parte..

Pedi pra uma amiga cuidar das gurias da porta, que dormiam confortáveis no bercinho, totalmente ''encharutadas'' e pra outra, pedi que ficasse mais perto, pra caso eu precisasse... e não é que precisei... a água até hoje me dá essa sensação.. de peso.. é como se o mundo fosse de volta pras minhas costas e tudo ficasse muito difícil! minha pressão começou a baixar, e o inevitável desmaio aconteceu.... caí banhada em sangue, deixando a coitada da amiga em pânico! ela tentou me erguer.. fazendo força, o que só piorou a situação! muito, mas muito sangue e uma dor de cabeça muito grande!

Eu só queria saber se minhas filhas estavam bem... ela queria chamar a enfermeira... eu só queria a toalha e ficar quietinha pra poder me recuperar e levantar... com todo esforço que fiz com ela tentando me levantar e dizendo que ia chamar ajuda, acabei desmaiando outra vez!

Aquela noite foi difícil.. o remédio pós cesariana é uma coisa a parte! eu, particularmente, nunca usei drogas, nem mesmo para experimentar.. mas acredito que o efeito seja similar! a gente não sabe se esta alando, pensando, sonhando, ouvindo... é tudo uma grande confusão mental!
Amanda chorava...não mamava! Eu queria levantar e ninar a minha filha.. mas cada vez que tentava, ficava tonta...
Era o plantão da minha tia... ela chegou e preocupada com a Amanda não mamar já trouxe o complemento... e ela recusou o complemento tb!
A minha tia aninhou Amandinha no colo e ficou com ela por um tempo! ela se acalmou.. adormeceu e ela me entregou para que eu também descansasse um pouco!

Minha tia também é minha comadre... ela é madrinha da Beatriz! Me deu um priminho 4 meses após o nascimento da Be, e estava presente na cesariana de emergência da Beatriz!
É casada com meu tio a muitos anos! nem sei quantos! e naquela noite... minha tia me ajudou muito, aninhando minha filha em seu colo! e eu, sou muito grata por isso!

O dia amanheceu!! Eu sabia que aquele seria o dia da alta! Como perdi MUITO sangue, fiquei muito pálida! Pedi ajuda ao Jean e fui fazer minha higiene matinal e já aproveitar pra ''passar um reboco na cara''.. eu estava quase terminando a maquiagem quando a pressão baixou outra vez! pedi ajuda para que eu pudesse sentar em um sofá que tinha no quarto.. e ali, nos braços do meu marido, desmaiei outra vez!
Dessa vez foi sem pânico!
Ele manteve a calma e ficou me segurando até eu recobrar os sentidos...

Passado algum tempo, tudo ficou ok outra vez!Tomamos café da manhã... Meu marido deu banho em uma das gurias, eu dei em outra... recebemos mais algumas visitas ali no hospital... Recebi de presente uma salada de frutas MA-RA-VI-LHO-SA da tia Lisi.. mãe da dinda das gurias... eu e o Jean comemos e foi o melhor presente que ganhei na mater hahhaha {gente que ama ganhar comida, sou dessas}

Um pouco depois do meio dia recebemos alta!
Eu estava louca para que meus filhos conhecessem as irmãs... estava louca pra fazer nossa lua de leite muito doce!

Não foi beeem assim... mas essa história, vou deixar pra outro post!

Nenhum comentário:

Postar um comentário