quarta-feira, 21 de outubro de 2015

O molhadinho

Existe uma coisa que sempre digo.. por ser assim que sinto! Ser mãe é um eterno ''cuspir pra cima''!! Não são raras as vezes em que podemos claramente sentir aquele molhadinho escorrendo pela testa!

É assim com você, foi assim com nossos antepassados e é assim comigo também!

A história desse post inicia aaanos atras! 10 anos mais precisamente! Gestava minha primeira filha, e ainda não tinha muito conhecimento sobre o mundo materno! Até mesmo por ser uma gestação não planejada, aos 17 anos... Mas de uma coisa eu tinha certeza! De que minha filha não usaria bico/chupeta...

Então, a Be nasce antes do previsto e acaba ficando internada por um período... Tomando o meu leite, ordenhado sempre com muito sacrifício pela sonda. Sem estímulo de sucção...
A pediatra dela sempre foi maravilhosa!

Hoje percebo que se eu não tivesse a Dra Maria Izabel ao meu lado naquele momento tão delicado, eu faria parte das estatísticas, engrossando a média terrível de 54 dias de aleitamento materno, ou até mesmo menos tempo!

Quando dei alta após a cesariana de emergência que trouxe a minha primogênita ao mundo, 3 dias após o seu nascimento, tive que deixar minha filha no hospital!
Foi sem dúvida, um dos dias mais tristes e sofridos da minha vida! Só quem é mãe de UTI sabe a dificuldade desse momento!
Beatriz não mamou assim que nasceu.. na verdade, ela precisou ir para o oxigênio e lá ficou no capacete por longos 16 dias!  Com medo que ela não aprendesse a sugar, a Dra comprou um bico pra Be, e quando cheguei para ficar com ela horas após a alta, vejo a minha cria com aquele colorido ''bibi'' na sua linda boquinha...

A Pediatra me explicou que isso facilitaria na amamentação depois que ela saísse do oxigênio... A grande maioria das enfermeiras da maternidade do hospital sempre foi muito gentil comigo..  Me ensinaram a ordenha manual correta {já que a esgotadeira é realmente terrível e machuca MUITO! principalmente pra quem não tem o estímulo de ficar cheirando e lambendo sua cria no colinho} e me deixavam ficar por mais tempo do que o permitido ali no espaço pequeno que é a neo natal...

Apesar do molhadinho estar ali, escorrendo testa abaixo, me conformei por que era uma forma de estimular algo importante... a sucção!

Beatriz deu alta e mamou exclusivamente e em livre demanda até os seis meses e teve amamentação prolongada até os dois anos {quando desmamou por conta própria} e só conheceu outro leite após fazer 1a e 8 meses... antes era só o da vaca mãe

Quando o Natan nasceu, nem comprei bico/chupeta.. Por que não queria colocar esse vicio nele, já que tínhamos a experiência com a Be, da dificuldade de largar depois, e  de como realmente prejudica na dentição e fala!

Morávamos em uma cidade muito pequena, onde não havia hospital! O Natan nasceu por meio de uma cesariana eletiva, marquei a data para dois dias antes da data previsa do parto, e não havia sequer um mízero sinalzinho de que ele estava pronto para chegar nesse mundo tão doido!
Meus pais e minha irmã, se programaram para irem ficar com a Be e para participarem desse momento importante para nossa família...

No mesmo dia que nasceu... minha mãe colocou nele o bico que minha irmã trouxe de Floripa {onde moram} e eu, pós operada mal tinha forças para falar.. quem dirá para entrar num embate feio...
Pensei comigo mesma.. depois que eu chegar em casa eu tiro o bico dele, afinal, ficaremos só nós! Meu pai e minha irmã, ficaram dois dias apenas, e minha mãe ficou 3! Dei alta ao meio dia, viajei de volta pra casa e antes das 5 da tarde, já estávamos na estrada outra vez pra levar minha mãe até a rodoviária de Torres, onde ela pegaria o ônibus de volta pra casa... E assim eu fiz... Tirei o bico dele e ele seguiu sendo a criança calma que era...

Porém, quando o Natan tinha 2 meses minha mãe passou uma semana conosco de férias... e foi o suficiente para que ela colocasse outra vez o bico no neto.... Dessa vez, não consegui tirar depois... Ele largou naturalmente, [diferente da mana que foi a base de pastilha tic tac} por volta dos dois anos e meio... Até os 3 ele ainda dizia que chupava bico.. mas não me pedia e eu tb não oferecia...E assim, meus dois filhos mais velhos usaram a chupeta...

Não tive problemas com a amamentação de nenhum deles... Da Beatriz precisamos ajustar a pega... Mas o problema era mais comigo do que com ela... Eu já estava com o seio bastante machucado... o bico do meu seio esquerdo é invertido e machucava bastante cada vez que ia fazer a ordenha com a esgotadeira....
Logo que ela pode vir para o meu colo, eu simplesmente explodi de leite.... {Isso mesmo que vc está lendo.. meu corpo demorou por volta de 17 dias pra produzir leite em graande quantidade.. até então cada gotícula era muito preciosa pra mim, e eu lembro com clareza a cara feia do pai da Be pra uma das enfermeiras que simplesmente desperdiçava aquele líquido tão precioso}. Não precisei mais tomar nenhum remédio {mesmo com a depressão - que nem sei se foi uma depressão, por que não fui examinada por nenhum psiquiatra - outro dia falarei sobre isso em um post!}

O Natan foi aspirado com perinha ao nascer... e foi amamentado na primeira hora de vida, conforme os olhos atentos da dinda dele, que acompanhou o nascimento e gravou o momento pra mim {que foi de extrema importância no meu processo de caminhada à humanização do nascimento} - eu realmente não lembro! A última lembrança viva que tenho é dela me perguntando se eu queria que ela ficasse ao meu lado até eu ir pro quarto ou se eu preferia que ela ficasse com o Natan.. Óbvio que escolhi que ela ficasse grudada nele! depois, apaguei! acordei horas depois...
Não tive problemas nenhum na amamentação dele, e ele mamou um pouco mais do que a mana... foi até os 3, alternando leite materno e leite ninho depois dos dois anos de idade... e ano passado, aos 4 foi a última vez que ele pediu para mamar... Quando sentei-o no meu colo e dei o peito ele deu meia sugadinha e disse.. Obrigada mãe! Mas agora teu peito tá entupido!!

Com a Amanda e a Helena, o bico veio exatamente no pós parto... Esse que é tão delicado pra nós mães!!

Durante a gestação também não comprei chupeta... minha ideia era não dar! Meus seios ficariam 24h a disposição delas e eu estava disposta a dar sempre que elas pedissem...
Mas minha prima, que mora longe, nos mandou alguns presentes, e junto deles vieram os bicos... que permaneceram guardados até o 3ª dia de vida delas...
Os primeiros dias das gurias foram difíceis pra mim, eu estava cansada, os conhecidos vieram em massa pra ver as meninas.. Na verdade eu já vinha cansada... uma gravidez gemelar gera uma sobrecarga  muito grande no nosso corpo! As meninas também não foram planejadas, então tive que manter meu ritmo de vida o mais parecido possível... Trabalhei até o dia delas nascerem... Dirigi até o último momento {adaptando uma jaqueta na barriga pra que o volante deslizasse com facilidade sem me machucar}.. Carreguei os filhos mais velhos pra suas atividades.. e assim segui também depois da alta!

No terceiro dia de vida delas, eu voltei a trabalhar... dei aula e recebi 17 pessoas naquele dia para conhecerem as gurias...
Quando a noite chegou, eu estava simplesmente exausta! já tinha desmaiado 3 vezes até então {2 no primeiro dia e 1 no segundo}, e cada vez que entrava no banho sentia um peso que me tirava as forças!

No  segundo choro da noite abri a chupeta e dei!

Elas pegaram imediatamente.. e o reflexo da minha escolha {consciente, por isso foi uma escolha - ainda que tomada em um momento de desespero e exaustão - minha} foi automático!

Amanda que já teve dificuldades para mamar desde o primeiro dia, simplesmente piorou mil vezes a pega.. dando uma machucada no peito... Como já tinha experiência em amamentação, persisti! e já são 103 dias de mamá da mamãe!

Como ela tinha mais dificuldades, cansava mais, por que foi preciso muita persistência para ajustar a pega... Mamava muito mais vezes do que a mana.... tendo que ''ouvir'' assim piadinhas das pessoas como ''já está roubando o mamá da Helena'' ou idiotices coisas do gênero!!

Helena não é muito fã da chupeta... normalmente larga rápido e não teve dificuldade na aamentação... Desde a primeira vez esvazia bem a mama, pegando todo o leite ''gordo'' do final da mamada e chegando a dormir 6 horas seguidas durante a noite...
Contamos com a colaboração fiel do papai... que em momento algum - mesmo nas minhas fraquezas mais profundas, mesmo quando ele mesmo estava beirando a exaustão, sequer cogitou me encorajar a desistir, e eu sou muito grata à ele por isso... sem dúvidas não teríamos conseguido sem teu apoio... e meu coração se apaixona novamente cada vez que ele me vê amamentando e espontaneamente vem me oferecer um copão de água...


Depois da introdução da chupeta, a amamentação das gurias ficou muito mais difícil... Amanda fez confusão de bico e isso quase nos custou caro demais!

Sem dúvidas, se eu não tivesse o apoio constante do marido, e se não tivesse experiência, eu faria parte das mães que não conseguem amamentar...




Esse é um relato sobre a minha experiência com relação à chupeta e amamentação...
Sobre o molhadinho que sinto na minha testa...

Com vc como foi?? Quer mandar o seu relato?? envie um e-mail para nina.nene@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário